segunda-feira, março 31, 2003

A profissão ideal

Muito estranha é a vida dos homens. Os coveiros passam a maior parte do tempo mergulhados na terra, os homens-rã no fundo do mar, os aviadores flutuando no espaço, os trapezistas dando cambalhotas no ar, os cabieneiros trancados em suas cabines, todos eles subindo e descendo e ouvindo números. Todo homem tem uma profissão. Em criança quer ser uma coisa e quando cresce acaba sendo outra. A gente se mata pra viver ou vive pra se matar? Quem pode me garantir que o dentista vive feliz, empunhando a sua broca das oito da manhã às oito da noite, vendo desfilar um punhado de dentes, quase todos furados e estragados? E o advogado, que tenta equacionar na justiça o drama dos seus clientes e fica sem tempo pra cuidar do seu próprio? E o médico, que receita remédios para tomar antes ou depois das refeições justamente para garantir as suas? E o bombeiro, que enfrenta o fogo real com uma àgua fictícia? E a menina-moça que fica posando o seu sorriso de anúncio e não consegue esconder a tristeza dos olhos?E o ator, que fica ensaiando dia e noite um papel que no dia da estréia lhe é ditado pelo ponto? E o ponto, coitado, que passa as noites metido num buraco? E o crítico de arte, que é obrigado a ver as coisas com a disposição prévia de não gostar? E o mecânico, que vive deitado debaixo dos automóveis pra ver se um dia consegue deitar em cima? E o violinista da orquestra, que chega em casa com a mão dolorida trazendo uma pequena percentagem dos aplausos? E o gari, que sai a passeio todas as manhãs com uma vassoura debaixo do braço? E a babá, que pra namorar precisa de um bebezinho como pretexto? E o parteiro, que nunca tem o prazer de tirar o telefone do gancho? E a telefonista, que chega em casa resmungando números? E o maestro, que vive de costas para o público e não tem chance de ser fotografado de frente? E o açougueiro, que só tem prazer mesmo na hora do banho? E os presidentes, que só abrem o jornal para ler denúncias e acusações à sua pessoa? E o jornaleiro, que é obrigado a vender notícias em dias de chuva? E o vendedor de guarda-chuva , que passa o dia torcendo pelo mau tempo? E o relações públicas, que almoça e janta de oito a dez vezes por dia? E o tabelião, que não consegue conversar espontaneamente neste mil novecentos e lá vai fumaça do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo? Por favor, amigos, não me digam de novo que a pior profissão é a de humorista: me deixem viver como eu penso que quero, embora em criança nunca sonhasse que só seria engraçadinho quando ficasse grande. Hoje é exatamente o que quero ser, quando crescer.

(Leon Eliachar)

domingo, março 30, 2003

Rave do cão. Fui dormir depois das 7:00 da manhã. Vai tocar "bate estaca" na Sibéria!! Lixo!!

Perguntas de um operário que lê


Quem construiu as portas de Tebas?
Nos livros constam nomes de reis.
Foram eles que carregaram as rochas?
E Babilônia destruída mais de uma vez?
Quem a construiu de novo?
Quais as casas de Lima dourada que abrigavam os pedreiros?
Na noite em que se terminou a muralha da China para onde foram os operários da construção?
A Eterna Roma está cheia de arcos de triunfo
Quem os construiu?
Sobre quem triunfavam os césares?
Bizâncio,tão cantada, só consistia de palácios?
Mesmo na legendária Atlântida
Os moribundos chamavam pelos seus escravos
Na noite em que o mar os engolia
O jovem Alexandre conquistou a India conquistou sozinho?
César bateu os gálicos
Não tinha ao menos um cozinheiro consigo?
Felipe da Espanha chorou a perda de sua Esquadra
Só ele chorou?
Frederico II ganhou a guerra dos Sete Anos
Quem mais ganhou a guerra?
Cada página uma vitória
Quem prepara os banquetes?
De dez em dez anos um grande homem.
Quem paga as suas despesas?
Tantas histórias
Tantas perguntas.

Bertolt Brecht

sábado, março 29, 2003

"Não é possível"

O futuro é uma espécie de banco ao qual vamos remetendo, um por um, os cheques de nossas esperanças. Ora, não é possível que todos os cheques sejam sem fundo!

¨ Mario Quintana

sexta-feira, março 28, 2003

As portas da percepção / O céu e o inferno



Mas o homem que vem de cruzar de novo a Porta na Muralha jamais será igual ao que partira para essa viagem. Será, daí por diante, mais sábio, embora menos arraigado em suas convicções, mais feliz, ainda que menos satisfeito consigo mesmo, mais humilde em concordar com a própria ignorância, embora esteja em melhores condições para compreender a afinidade entre as palavras e as coisas, entre o raciocínio sistemático e o insondável mistério que ele procura, sempre em vão, compreender.


Aldous Huxley

quinta-feira, março 27, 2003

Ich schau dich an, du bist so wunderschön.
Ich schau dich an, doch leider muß ich gehn.
Ja ich möchte dich so gern berühren,
und dich in meinem Appartement verführen,
doch viel zu kurz ist das Minutenglück,
und ich muß wieder auf die Straße zurück.
Ja, ich muß wieder auf die Straße zurück,
ja, ich muß wieder auf die Straße zurück.

Ich schau dich an, du bist so wunderschön.
Ich schau dich an, ich muß dich wiedersehn.
Jede Stunde möcht ich bei dir sein,
schon wieder werf ich eine Münze rein,
doch viel zu kurz ist das Minutenglück,
und ich muß wieder auf die Straße zurück.
Ja, ich muß wieder auf die Straße zurück,
ja, ich muß wieder auf die Straße zurück.

Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep! Peep!

Ich schau dich an, du bist so wunderschön.
Ich schau dich an, ich muß dich wiedersehn.
Jede Stunde möcht ich bei dir sein,
schon wieder werf ich eine Münze rein,
doch viel zu kurz ist das Minutenglück,
und ich muß wieder auf die Straße zurück.
Ja, ich muß wieder auf die Straße zurück,
ja, ich muß wieder auf die Straße zurück.

Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep-peep, Show-ow-ow-ow
Peep! Peep!


I C H S C H A U D I C H A N - SpIdEr MuRpHy GaNg

quarta-feira, março 26, 2003

Sono umane situazoni
quei momenti fra di noi
i distacchi e i ritorni
da capirci niente poi
già...come vedi
sto pensando a te...si...da un po'

-----------------------------------------

sto pensando a te
sto pensando a noi...

------------------------------------------

Perché
sono umani tutti i sogni miei
con le mani io li prenderei, si perché

------------------------------------------

Sono cose della vita
ma la vita poi dov' é

------------------------------------------

(Fragmentos de "Cose della vita" - Eros Ramazzotti")

terça-feira, março 25, 2003









Adeus, tia Celeste. Descanse em paz. Saudades.

segunda-feira, março 24, 2003

Essas pérolas fazem parte das redações dos estudantes que participaram do ENEM

"Já está muito de difícil de achar os pandas na Amazônia."
(Que pena. Também os dromedários e os elefantes indianos sumiram de lá.)

"A natureza brasileira só tem 500 anos e já está quase se acabando."
(Foi trazida nas caravelas, certo?)

"O cerumano no mesmo tempo que constrói também destrói, pois nos temos que nos unir para realizarmos parcerias juntos."
(Não conte comigo!)

"Na verdade, nem todo desmatamento é tão ruim. Por exemplo, o do Aeds Egipte seria um bom benefício para o Brasil."
(Vamos trocar o fumacê pelas moto-serras! )

"Vamos mostrar que somos semelhantemente iguais uns aos outros".
(Com algumas diferenças básicas...)

"...eles matam não somente os animais mas também os matança de aves peixes também precisam acabar ... os pequenos animalzinhos morrem queimados e asfixados."
(Pelo menos esse tem bom coração.)

"Hoje endia a natureza..."
(Muito bem! não usou m, e sim n, porque m só antes de p e b, não é mesmo!)

"No paíz enque vivemos, os problemas cerrevelam..."
(Outro erro acertado, usou 2 erres. Muito bem!)

"...menos desmatamentos, mais florestas arborizadas."
(Concordo! De florestas não arborizadas, basta o Saara!)

"...provocando assim a desolação de grandes expécies raras."
(Vocês não sabiam que os animais também tem depressão? Quanto ao resto, não tem como justificar!)

"Nesta terra ensi plantando tudo dá."
(Isto deve ser o português arcaico que Caminha escrevia...)

"Isso tudo é devido ao raios ultra-violentos que recebemos todo dia."
(Meu Deus... Haja pára-raio!)

"Tudo isso colaborou com a estinção do micro-leão dourado."
(Quem teria sido o fabricante? Compaq ? Apple ? IBM?)

"Imaginem a bandeira do Brasil. O azul representa o céu,o verde representa as matas, e o amarelo o ouro. O ouro já foi roubado e as matas estão quase se indo. No dia em que roubarem nosso céu, ficaremos sem bandeira."
(Ainda bem que temos aquela faixinha onde está escrito Ordem e Progresso.")

"Ultimamente não se fala em outro assunto anonser sobre o araras azuls que ficavam sob voando as matas."
(Talvez por terem complexo de Urubus!)

"...são formados pelas bacias esferográficas."
(Imaginem as bacias da BIC...)

"Eu concordo em gênero e número igual."
(Eu discordo!)

"Os homens brasileiros, estão acabando com tudo, as árvores para desmartar para fazer tauba e outra coisa."
(Alguém aí sabe o que é tauba?)

"Precisa-se começar uma reciclagem mental dos humanos, fazer uma verdadeira lavagem celebral em relação ao desmatamento, poluição e depredação de si próprio."
(Concordo: depredação de si mesmo é "oríveu".)

"O seringueiro tira borracha das árvores, mas não nunca derubam as seringas."
(Estas podem ser derrubadas porque são descartáveis.)

"A concentização é um fato esperançoso para todo o território mundial."
(Haja fé!)

"Vamos deixar de sermos egoístas e pensarmos um pouco mais em nós mesmos."
(Que pérola!)

"O sero mano tem uma missão..."
(A minha por exemplo, é ter que ler isso!)

"O Euninho já provocar secas e enchentes calamitosas..."
(Levei uns minutos para identificar o El Niño...)

"Até a Xuxa hoje em dia se prelcupa com a situação dos animais"
(É por causa da globalização.)

"Na Amazonas está sendo a maior derrubagem e extração de madeira do Brasil."
(A culpa é dos carregadores.)

"O problema ainda é maior se tratando da camada Diozônio!
(Gente, eu não sabia que a camada tinha esse nome bonito)

"Enquanto isso os zoutros .... tudo baixo nive..."
(Seja sempre você mesmo.)

"A situação tende a piorar: o madereiros da Amazônia destróem a Mata Atlântica da região."
(E além de tudo, viajam pra caramba, hein?)

"O que é de interesse coletivo de todos nem sempre interessa a ninguém individualmente."
(Entendeu...?)

"Não preserve apenas o meio ambiente e sim todo ele."
(Faz sentido.)

"O grande problema da Rio Amazonas é o pesca dos peixes."
(Achei que fosse a pesca dos pássaros.)

"É um problema de muita gravidez."
(Com certeza ... se seu pai usasse camisinha não leríamos isso!)












Hoje tô um pouco atrapalhada com relação ao tempo.
Você tem pouco tempo, tem que sair, tem que atender telefone, tem que comer......tem que escrever no blog. O blog não é obrigação, é diversão. Não ganho nenhum centavo com isso, bem que gostaria, but..................A grana distorce a tua liberdade de expressão.

Como diria Dalí "NADA MAIS IMPORTANTE DO QUE SE DEITAR AO SOL E NÃO FAZER NADA"

domingo, março 23, 2003

Message In a Bottle ---- THE POLICE
Just a castaway
An island lost at sea
Another lonely day
With no one here but me
More loneliness
Than any man could bear
Rescue me before I fall into despair

I'll send an SOS to the world
I'll send an SOS to the world
I hope that someone gets my
I hope that someone gets my
I hope that someone gets my
Message in a bottle


A year has passed since I wrote my note
But I should have known this right from the start
Only hope can keep me together
Love can mend your life
But love can break your heart
---------------------------------------------------------------------------------------
(Outono / 1988)



sexta-feira, março 21, 2003

Hoje acordei às 05:50. É muito cedo. OK, fui ouvir rádio e só tem emissoras evangélicas ou notícias sobre a "guerra" .
Combinação perfeita: 1 aula de alongamento + 1 chuvinha = Relaxamento, (esqueço o mundo lá fora)
Na minha gaveta:
Os irmãos GRIMM (trabalho de escola)
À beira de uma grande floresta vivia um pobre lenhador com sua mulher e dois filhos....
Contos de fadas, como se sabe, são histórias curtas, onde acontecem coisas fantásticas, mágicas, num mundo irracional onde dominam forças obscuras.
As histórias dos irmãos Grimm sempre terminam bem."Rei Sapo","Bela Adormecida", "Lobo Mau"
"O conto de fadas é o espelho mágico, que reflete o mundo interior da criança, seus medos, desejos e fantasias, e indica ao mesmo tempo, quais os passos de desenvolvimento necessários para o seu amadurecimento." Bruno Bettelheim

quinta-feira, março 20, 2003

Me gusta cuando callas por que estas como ausente
Me oyes desde lejas y mi voz no te toca
Parece que los ojos se te hubieran volado
Y parece que un beso te cerrara la boca

Como todas las cosas emergen de mi alma
Emerges de las cosas llena de alma mia
Mariposa en arrullo te pareces a mi alma
Te pareces a la palabra melancolia

Me gusta cuando callas por que estas como distante
Y estas como quejando te y mi voz no te alcanza
Eres como la noche lejana y constelada
Tu silencio es de estrella lejano y sencillo

Dejame que te hable tambíen con tu silencio
Claro como una lampada
Simple como un anillo

...............................................................

(Pablo Neruda)

quarta-feira, março 19, 2003

Numbers
Eins zwei drei vier funf sechs sieben acht
Uno due treis quattro
Uno dos tres cuatro (=Spanish)
One two
Ichi ni san chi (Japanese 1,2,3,4)
Odin dva tri (Russian 123)
K R A F T W E R K

terça-feira, março 18, 2003

Tristão, filho de Rivalen, rei de Loonois, e Blanchefleur, irmã de Marc, rei da Cornualhas. Recebeu este nome, pois sua mãe encontrava-se em profunda tristeza pela morte de seu marido. Foi educado por Rohalt, e acreditava que este era seu pai. Aprendeu com Gorvenal todas as coisas que um cavaleiro deve saber. Quando jovem, foi raptado por mercadores irlandeses, que o deixaram nas Cornualhas, onde conheceu o rei Marc, sem saber que este era seu tio e vice-versa. Depois de muito procurar Tristão, Rohalt encontra-o, e conta-lhe que seu verdadeiro pai era Rivalen e sua mãe, Blanchefleur, irmã de Marc. Voltou então a sua terra, reconquistou-a, deixando-a para Rohalt; e volta para junto do rei Marc (que já sabia que ele era seu sobrinho), levando consigo apenas Gorvenal.

Para salvar Marc de uma dívida, lutou com gigante Morholt da Irlanda. Ficou ferido mortalmente, e pediu ao rei que o
colocasse sozinho em um barco com sua harpa, e que o deixasse morrer em mar aberto. Foi, então, encontrado no porto de Weisefort, terra de Morholt. Sem saber, Isolda, a Loura, curou-o de seus ferimentos. Ninguém o reconheceu, pois o ferimento deformou seu rosto, e antes que fosse reconhecido, foi embora, voltando para o rei Marc.

O rei não queria casar-se, para poder deixar tudo para Tristão, mas quatro barões, que não gostavam de Tristão, exigiam o casamento do rei. Então, ao pegar um fio de cabelo louro, mandou que buscassem a dona dele, e esta seria a sua esposa. Tristão, lembrando-se de Isolda, foi buscá-la.

Foi a Weisefort, com cem homens, aportando lá, souberam da existência de um dragão, e quem o matasse, receberia a mão da filha do rei, Isolda, a Loura. Tristão matou a dragão, mas ficou ferido pelo seu veneno, e novamente Isolda o curou. Só que desta vez ela soube quem ele era. Mesmo assim, o rei da Irlanda, com a palavra empenhada, entregou sua filha a Tristão. Isolda fica perturbada e surpresa ao saber que seu futuro marido seria o rei Marc, e não Tristão.

No caminho às Cornualhas, Tristão e Isolda tomam uma poção que os faz ficar apaixonados (tal poção fora dada pela mãe de Isolda, aos cuidados de Brangien). E, era para ser tomada por Marc e Isolda na noite de núpcias, pois quem dela tomasse, amariam-se com todos os sentidos e pensamentos, para sempre, na vida e na morte. Isolda casa-se com o rei Marc, mas na noite de núpcias, Brangien toma seu lugar. Mas, os quatro barões invejosos desconfiam dos amantes, e contam ao rei, e mesmo sem nada flagrar, o rei manda Tristão embora. Este não consegue ir e hospeda-se perto do castelo, encontrando-se as escondidas com a rainha. Os barões percebem e contam ao rei o lugar e a hora do encontro. Marc vai até lá, mas os amantes percebem a sua presença, e com palavras sábias convencem o rei do contrário. O rei faz as pazes com Tristão e deixa que ele volte ao castelo. Mesmo assim, os barões insistem no fato, e dizem ao rei que este não vê porque não quer. Com a ajuda de Frocin, o anão vidente, flagram Tristão com a rainha em seu leito.
Tristão, ainda assim, jura nunca ter amado a rainha com amor culpável, mas o rei não acredita, e manda matá-los, sem
julgamento. Tristão, com a ajuda de Deus, consegue fugir e Isolda é entregue aos leprosos. Mas, Tristão consegue salvá-la e a leva para morar na floresta: eram fugitivos.

Ficam na floresta durante muito tempo, até que um dia, um Monteiro os encontra e vai contar ao rei. Este vai até o local e encontra os dois deitados juntos, com uma espada nua separando seus corpos (isso significa garantia e guarda de castidade), o rei tem compaixão e não os mata, mas faz com que eles saibam que ele esteve ali e os viu. Ao acordarem, percebem que tinham sido descobertos, fogem, mas ficam intrigados com a atitude do rei, e chegam a conclusão que haviam sido perdoados. Resolvem então voltar, e Tristão entrega Isolda ao rei, e este a aceita, mas manda Tristão embora, a conselho dos barões. Antes de ir, Isolda pede de lembrança o cão Husdent de Tristão e lhe dá o anel de jaspe verde, presente de Marc, o qual deveria ser mostrado a ela, caso Tristão quisesse dar-lhe algum recado.

Isolda, para provar sua inocência perante a corte, faz um teste que consistia em segurar um ferro em brasa e sair com as mãos ilesas, depois do juramento. Ela passa. Depois disto, Tristão ainda não conseguiu ir embora, e toda a noite ia até um pinheiro, perto da janela da rainha, e cantava como um rouxinol, até que ela viesse ao seu encontro. Mas os barões desconfiam e ele tem de ir embora. Vai para Gales com Gorvenal, para as terras de Gilain. Esta fazia tudo para agradá-lo, mas era em vão.
Então Gilain mostrou-lhe um cão mágico, Petit-Crû, que trazia preso no pescoço um guizo mágico que espantava
todas as tristezas. Tristão pensou em Isolda, e quis dar-lhe o cão de presente, e para conseguir isto matou o gigante Organ. Mandou Petit-Crû para a rainha e ela recebeu como se fosse presente de sua mãe. Realmente o cão alegrou-a, mas não achou justo somente Tristão sofrer, e jogou o guizo em alto mar.

Tristão tentava fugir de sua dor correndo o mundo. E sem receber notícias de Isolda achou que ela o tinha esquecido.
Chegou na Bretanha. Recuperou as terras do duque Höel, o qual tinha um filho, Kaherdin, e uma filha, Isolda, das Brancas Mãos, a qual o duque lhe deu a mão como recompensa. Num ímpeto, Tristão aceita, mas na noite de núpcias, ao ver o anel de jaspe verde, lembra-se da outra Isolda e não consuma o casamento. Kaherdin fica sabendo do fato e toma satisfações com ele, que conta toda a sua história. Isolda, a Loura, fica sabendo do casamento e chora.

Kaherdin perdoa Tristão e vai com ele até as Cornualhas, para obterem notícias de Isolda. Lá chegando manda uma mensagem para a rainha, através de Dimas. Esta, ao ver o anel de jaspe verde, fala com Dimas, que lhe conta que mesmo casado, Tristão nunca lhe traíra. Marcam um encontro na estrada, nos espinheiros. Tristão ao ver a rainha, assobia como um pássaro, esta reconhece o canto, e marca um encontro no castelo de Saint-Lubin. Mas, eis que, um escudeiro, chamado Bleheri, vê Kaherdin e Gorvenal, e confunde Kaherdin com Tristão, por causa do escudo. Chamou-o, mas estes assustados, fogem. O escudeiro conta o fato a rainha, que irritada e ofendida, manda desmarcar o encontro. Tristão tenta justificar-se, mas Isolda não acredita. Ele, então vai atrás dela, disfarçado de mendigo, e pede sua clemência. Isolda o reconhece, mas manda os empregados enxotá-lo. Tristão volta para a Bretanha desolado, e a rainha se arrepende.

Mesmo frente a atitude de Isolda, Tristão queria revê-la, e vai embora sem avisar ninguém. Veste-se miseravelmente e vai até o porto onde encontra uma nau que vai até Tintagel. Chegando lá, corta seu cabelo rente ao couro cabeludo, desenha nele uma cruz, lambuza seu rosto com uma erva mágica, e esta muda seu rosto. Pendura ainda uma clava no pescoço e dirige-se para o castelo de Marc. Chegando lá, ninguém o reconheceu, nem mesmo Isolda. Ele dizia ser Tristão, mas a rainha não acreditava, até que trouxeram Husdent, que foi o único a reconhecê-lo. O louco via a rainha todos os dias, ficava em seu quarto, até que começaram a desconfiar e ele teve de ir embora. Voltou para a Bretanha, onde teve que guerrear, e caindo numa emboscada, viu-se ferido por uma lança envenenada. Ninguém conseguiu curá-lo. E sentindo que iria morrer, quis ver Isolda mais uma vez. Pediu a Kaherdin que fosse buscá-la, e Isolda, das Brancas Mãos escutou, e enfureceu-se e pensou em vingança.

Kaherdin foi, levando o anel. Tristão pediu-lhe ainda que levasse duas bandeiras, uma preta e outra branca, e que na sua volta içasse a branca , se Isolda viesse, e a preta caso contrário. Ao ver o anel, Isolda, a Loura, fugiu com Kaherdin. Tristão definhava. Isolda demorou-se por causa de várias tempestades, mas finalmente estavam chegando com a vela branca içada.

Isolda das Brancas Mãos disse a Tristão que Kaherdin estava chegando, e este perguntou qual a cor da bandeira asteada, e ela, maldosamente, respondeu que era preta. Depois de ouvir isto Tristão morre.

Ao chegar, Isolda fica sabendo do ocorrido e vai até ele, deita-se junto a ele, beija-o na boca e no rosto, abraça-o forte e morre. Quando o rei Marc sabe da morte dos dois, vai até a Bretanha buscar seus corpos. Sepulta-os separados por uma capela.

Mas durante a noite, da tumba de Tristão brota um espinheiro verde, com flores perfumadas e elevou-se por cima da capela até o túmulo de Isolda, três vezes o cortaram, três vezes ele voltou. E, sendo assim, resolveram deixá-los em paz.


segunda-feira, março 17, 2003

"O cão não ladra por valentia e sim por medo." Provérbio Chinês

domingo, março 16, 2003

Análise

Tão abstrata é a idéia do teu ser
Que me vem de te olhar, que, ao entreter
Os meus olhos nos teus, perco-os de vista,
E nada fica em meu olhar, e dista
Teu corpo do meu ver tão longemente,
E a idéia do teu ser fica tão rente
Ao meu pensar olhar-te, e ao saber-me
Sabendo que tu és, que, só por ter-me
Consciente de ti, nem a mim sinto.
E assim, neste ignorar-me a ver-te, minto
A ilusão da sensação, e sonho,
Não te vendo, nem vendo, nem sabendo
Que te vejo, ou sequer que sou, risonho
Do interior crepúsculo tristonho
Em que sinto que sonho o que me sinto sendo.


Fernando Pessoa, 12-1911.

05-1989

If you Could Only See

Tonic
Lemon Parade (1996)


If you could only see the way she loves me
Then maybe you would understand
Why I feel this way about our love
And what I must do
If you could only see how blue her eyes can be when she says
When she says she loves me
Well you got your reasons
And you got your lies
And you got your manipulations
They cut me down to size
Sayin' you love but you don't
You give your love but you won't
If you could only see the way she loves me
Then maybe you would understand
Why I feel this way about our love
And what I must do
If you could only see how blue her eyes can be when she says
When she says she loves me
Seems the road less traveled
Show's happiness unraveled
And you got to take a little dirt
To keep what you love
That's what you gotta do
Sayin' you love but you don't
You give your love but you won't
You're stretching out your arms to something that's just not there
Sayin' you love where you stand
Give your heart when you can
If you could only see the way she loves me
Then maybe you would understand
Why I feel this way about our love
And what I must do
If you could only see how blue her eyes can be when she says
When she says she loves me
Sayin' you love but you don't
You give your love but you won't
Sayin' you love where you stand
Give your heart when you can
If you could only see the way she loves me
Then maybe you would understand
Why I feel this way about or love
And what I must do
If you could only see how blue her eyes can be when she says
When she says she loves me

sábado, março 15, 2003

Que noite!
Noite de sono perdida!
Rave do lado de casa. EU ODEIO RAVE!
EU AMO O MEU WALKMAN!
Putz, tem cada blog? Mas, isso é que é democracia!
Hoje tem churrasco!

sexta-feira, março 14, 2003

Vulnerant omnes, ultima necat
Inscrição de velhos relógios da Europa. Todas as horas ferem, mas a derradeira mata.

Verba volant scripta manent
As palavras voam, mas permanecem quando escritas

quinta-feira, março 13, 2003

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.


Ricardo Reis, 1-7-1916

quarta-feira, março 12, 2003

Era pra ter ido no Cinesesc, só que não rolou.
Hoje tava lendo a revista E do SESC, e tem entrevista com o Paulinho da Viola, pinçei uma frase:
"Enriquecemos a vida quando pensamos que o passado e o presente podem se integrar."

terça-feira, março 11, 2003

Quem De Nós Dois - Ana Carolina

Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber
Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer
Se eu disser que já nem sinto nada
Que a estrada sem você é mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara
Eu já conheço o teu sorriso, leio teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
E eu já nem preciso
Sinto dizer
Que amo mesmo, tá ruim pra disfarçar
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos
No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos
E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida
Eu procurei qualquer desculpa pra não te encarar
Pra não dizer de novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar
Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Leu no meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
Por que eu já nem preciso

segunda-feira, março 10, 2003

domingo, março 09, 2003

Fui no Parque da Aclimação. Foi fundado em 1892.É bem calmo pra passear a pé, patins. Bicicleta é proibida.
Visitei o www.hiro.com.br/blog, o cara é muito bom. O http://sct.staghosting.com é ótimo.

sábado, março 08, 2003

Em homenagem às mulheres por todos os dias de nossas vidas:
A paixão segundo G H


(...)
Se tiver coragem, eu me deixarei continuar perdida. Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo- quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.

(...)

Pois preciso saber exatamente isto: estou sentindo o que estou sentindo, ou estou sentindo o que eu quereria sentir? Ou estou sentindo o que precisaria sentir?

(...)

É um amor muito maior que estou exigindo de mim – é uma vida tão maior que não tem sequer beleza.

(Clarice Lispector)

sexta-feira, março 07, 2003

Ontem nasceu o Blog Junior, tem o mesmo nome do pai.
http://www.nothingstaysthesame.blogger.com.br , agora você poderá ver imagens, fotos que eu não podia postar aqui.
Vou tentar manter os dois, porque infelizmente estou desempregada e tenho tempo e vontade para isso.

quinta-feira, março 06, 2003

Strange, strange!?!
Vejam "A Casa dos Espíritos"
That's all!

quarta-feira, março 05, 2003

Verde que te quiero verde - Lorca

Beleza NOeli - zero zero 22+10
Quem não viaja, tem poucas opções.
Desencanei de ver Os Guerreiros de Xi'an, 10.400 pessoas na segunda-feira em fila.
Esse top 500 da MTV não acabava nunca, vi duas vezes o Joy Division, Midnight Oil ...
Aí você vai ao supermercado por obrigação, sai horrorizada com os preços.
Pelo menos eu e o Má vimos "The NET" com a Sandra Bullock, é velhinho, mas é bom.
Tô lendo a matéria da Folha com os 50 blogs brasileiros de destaque.
Tava procurando na Rede  algo sobre genealogia, origem de sobrenomes.... Achei o www.rat.de/kuijsten/navigator

segunda-feira, março 03, 2003

Esse final de semana foi legal. Descobri o www.linguadetrapo.com.br, do qual retirei este texto do bicho-grilo, várias fotos, vídeos, piadas, discografia com as letras.
No Domingo retornei ao Parque Solo Sagrado do Guarapiranga. Sempre tem algo novo que você não tinha visto antes.
Lá você recebe o Johrei que é o método de canalização da infinita energia vital do universo para o aperfeiçoamento espiritual e físico do ser humano, restaurando sua condição de verdadeira saúde, prosperidade, paz e nobreza de sentimentos. é um passe de energia transmitido pelas mãos.
Apesar de ser sede da Igreja Messianica, é aberto a todos que procuram paz, beleza. Não é imposto nenhum ritual, nenhuma doação, a entrada é franca.
Vale a pena conhecer este canto especial de São Paulo.
O endereço é: Estrada do Jaceguai, 6567 - Parelheiros - São Paulo - SP
Tel: (0**11) 5970-1000
www.solosagrado.org.br

domingo, março 02, 2003

O Estudo Científico dos Bicho-Grilo - Texto de Carlos Melo

__-O "Bicho-grilo porraloquensis" é resultado do cruzamento entre o intelectual da USP, o hippie da Bolívia e o capoeirista do Pelourinho.
__-Ele se reproduz em cativeiro e habita os quarteirões entre as Ruas Fidalga e Rua Harmonia, na Vila Madalena.
É reconhecido por suas batas coloridas, lenços na cabeça e um vocabulário de apenas de quatro expressões: "só", "meu", "muito louco" e "tô louco pra caralho."
__-A alimentação básica do Bicho-grilo porraloquensis é arroz integral, batata barôa, empanada argentina, tofu e mais arroz integral.
__-Alguns deles tomam cerveja e fumam um cigarrinho fino e perfumado.
__-Os Bicho-grilo têm muitos filhotes.
__-Eles ninam esses filhotes à noite com músicas do Beto Guedes e do Led Zeppelin.
__-Também gostam de colocar nomes diferentes nos filhotes, como Cauê, Aritana, Lenine, Stalimir, Krishna ou Sidarta.
__-Nos anos 90, com a proliferação dos bares de pagode e da novela "Vila Madalena", os Bicho-grilo começaram a entrar em extinção.
__-Não podiam mais dormir em redes na varanda e foram ficando cada vez mais tristes.
__-Foi aí que aconteceu a grande fuga dos Bicho-Grilo em direção à Visconde de Mauá, São Tomé das Letras, Trindade e calçadas do Espaço Unibanco.
__-Hoje existem poucos espécimes na Vila.
__-Por causa disso, não coma um Bicho-Grilo.
__-Se for inevitável, use camisinha.
__-Vamos preservar a natureza. Boa noite.



sábado, março 01, 2003

Concheta
(Carlos Melo - Cassiano Roda)
Querida Concheta
Estô a te ligare
Pra te convidare
Pra manjare con me
Comê unas brachola
Queijo provolone
E na radiola
A Rita Pavone
Dispois unas pizza
Tipo califó
Tutte mezza a mezza
Ma que bruta esbórnia
Concheta,
vita mia,
ricorda aquele giorno
que nós fumo no ristorante,
no ristornate do Grupo Sérgio
e ocê parlô per me:
facchiano I'amore lá no meu beliche.
E eu te diche:
má logo agora que misturei
cocomero com aliche,
ocê vem me falá em amore,
em séquiço,
que eu tô com una bruta dolore no
duodeno...
E ocê parlô per me:
vá! má me toma um sar de fruta Eno.
E a dolore foi aumentando, eumentando,
aumentando
e io gritei pro garçon:
Chega de spaghetti
Suspende a escarola
Leva o capelletti
Tira o gorgonzola
Traz um sar de fruta
Dio, Dio tutta meia
Questa pastasciutta
Meu deu diarréia
Xingu Disco
(Carlos Melo - Laert Sarrumor)

Tiveram a manha de me emancipar
Sabe como é, eu era índio no Pará
Aí pintou toda aquela transação
Era Funai, Fazenda e demarcação
A nossa tribo Ubajara se alterou
Nosso cacique comprou um televisor
Até o pajé, que curtia misticimo
Se converteu, de cara, pro catolicismo
Xingu, Xingu, Xingu
O índio já tomou
E agora até trocou
O tupi pelo I love you
Xingu, Xingu, Xingu
O índio já tomou
E agora até trocou
A Iracema pela lady Zu
A minha irmã
foi trabalhar na Zona
Franca de Manaus,
no comércio de japona
Peri, meu mano, é campeão de fliperama
Meu pai é revendedor dos produtos da
Brahma
E se não fosse
o milagre brasileiro
Os meus parentes inda eram seringueiros
E eu não seria presidente da Brazil United
Corporation
Bauxita and Steel
Xingu...