segunda-feira, junho 30, 2003

GRACIAS A LA VIDA
Violeta Parra

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me dió dos luceros que, cuando los abro,
perfecto distingo lo negro del blanco,
y en el alto cielo su fondo estrellado,
y en las multitudes el hombre que yo amo.

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me ha dado el oído, que en todo su ancho
graba noche y día; grillos y canarios.
martillos, turbinas, chubascos
y la voz tan tierna de mi enamorado.

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me ha dado el sonido y ell abecedario,
con el las palabras que pienso y declaro:
madre, amigo, hermano y luz, alumbrando
la ruta del alma del que estoy amando.

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me ha dado la marcha de mis pies cansados;
con ellos anduve ciudades y charcos,
playas y desiertos, montañas y llanos,
y la casa tuya, tu calle y tu patio.

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me dió el corazón, que agita su marco
cuando miro el fruto del cerebro humano,
cuando miro el bueno tan lejos del malo,
cuando miro el fondo de tus ojos claros.

Gracias a la vida, que me ha dado tanto.
Me ha dado la risa y me ha dado ell llanto;
así yo distingo dicha de quebranto,
los dos materiales que forman mi canto
y el canto de ustedes, que es el mismo canto,
y el canto de todos, que es mi propio canto-

Gracias a la vida...






domingo, junho 29, 2003

Este Inferno de Amar

Este Inferno de Amar
Este inferno de amar - como eu amo!-
Quem mo pôs n'alma... quem foi?
Esta cham que alenta e consome,
Que é a vida - e que a vida destrói-
Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há de ela apagar?

Eu não sei, não me lembra: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonh talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão seran a dromi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! desperatar?

Só me lembra que um dia formoso
Eu passei... dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez ela? eu que fiz? - Não no sei;
Mas nessa hora a viver comecei...

Almeida Garrett

sexta-feira, junho 27, 2003

Yul Brynner sempre me fascinou! O olhar é indescrítivel.
Teve uma época nos anos 70, que passava o seriado "O Rei e Eu" na televisão, eu era garotinha, mas ficava prestando a maior atenção naquele ator "careca".
Ele simplesmente representou 4.625 vezes a peça "O Rei e Eu" durante 35 anos consecutivos.
Ele está insuperável em "Os Dez Mandamentos".
Yul pode ter nascido em uma ilha na costa da Sibéria e morreu 10 de outubro de 1985 vítima de câncer nos pulmões.

quinta-feira, junho 26, 2003

Viver é desenhar sem borracha.
(Millôr Fernandes)
O homem gosta de contabilizar os problemas, mas não conta as alegrias.
(Fiodor Dostoievski)

terça-feira, junho 24, 2003

Mudando de assunto, o novo CD do Metallica é bem "pesado".
Eu fico confusa, porque você ouve tanta baba por aí, que não tem mais noção de um som mais encorpado. Acha que tá te irritando, como se fosse uma velhinha "Que barulheira".
Tem que ser ouvido mais vezes, pra dar uma opinião honesta.
Exatamente há 12 Anos  atrás, apresentei o trabalho de conclusão da graduação.Fiquei  nervosa, mas muito feliz por ter cumprido aquela etapa.

Fico desolada por não ter aparecido uma real oportunidade de trabalho na área de Comunicação Social.

segunda-feira, junho 23, 2003

Conversei no final de semana com minha prima, e ela se inscreveu no "par perfeito". Sorte pra ela!
Confesso que não sou atraída por isso. Eu acredito no antigo "olho no olho", e mesmo assim posso me enganar.
Tudo bem, que você não precisa ficar com a primeira pessoa que encontrar.
Mas, acho estranho.
Eu sou muito séria e não consigo me descontrair com uma pessoa "virtual".
Por que não posso ser só?
A felicidade está comigo e não no outro. E se o outro não quer ser feliz do meu lado? O que eu vou fazer? Chorar, nem pensar!
A vida é curta, tenho que aproveitá-la da melhor maneira que puder. With or without you ....

domingo, junho 22, 2003

Fernando Pessoa
Poesias Inéditas

Caminho a teu lado mudo

Caminho a teu lado mudo
Sentes-me, vês-me alheado ...
Perguntas: Sim... Não ... Não sei...
Tenho saudades de tudo...
Até, porque está passado,
Do próprio mal que passei.
Sim, hoje é um dia feliz.
Será, não será, por certo
Num princípio não sei que
Há um sentido que me diz
Que isto — o céu longe e nós perto
É só a sombra do que é ...

E lembro-me em meia-amargura
Do passado, do distante, E tudo me é solidão ...
Que fui nessa morte escura?
Quem sou neste morto instante?
Não perguntes ... Tudo é vão.




sexta-feira, junho 20, 2003

Estou com a garganta inflamada!!
E hoje é aquele dia pós-feriado, que você não sabe o que fazer!?
Então, a tarde é da internet!!
Dá-lhe Flogoral spray pro fundo da garganta.
E no meu JVC portátil "The last note of Freedom" com a voz de veludo do David Coverdale.

quarta-feira, junho 18, 2003

I beg your pardon, hello darlin'
This is me you're talkin' to
Sit down and tell me about it
You don't have to shout it at me
Tell me what you really want to do

Don't give me no alibis
No untrue stories you're trying to justify
Don't want no alibis
Just another reason for another lie

Mountain gets steeper
The hole you dig gets deeper
You better stop and climb out
'Cause I'm trying to give it all to you
Baby I can see right through you
Sometimes you lose what it's all about

Don't give me no alibis
Can't go through life trying to justify
Don't want no alibis
Just another reason for another lie



Mountain gets steeper
The hole you dig is getting deeper
Better reach out and pull yourself out
Nobody ever gonna love you the way that I love you
And I never want to see you doin' without


No Alibis - Mr. Eric Clapton






terça-feira, junho 17, 2003

Amazonas
O mito das amazonas, raça composta unicamente por mulheres guerreiras e caçadoras, encontrou sua formulação clássica na antiga Grécia, embora suas origens remontem às etapas primais do matriarcado.
Descendentes de Ares, deus da Guerra, e da ninfa Harmonia, as amazonas não compartilhavam sua vida com os homens, a não ser nos inevitáveis momentos da procriação. Os filhos que porventura tivessem eram sacrificados ou mutilados; as filhas, frutos desejados da união com os homens, eram treinadas para a guerra.
As amazonas habitavam o Cáucaso e as fronteiras da Cítia, mas transferiram-se para regiões mais distantes à medida que os gregos se expandiram, através de conquistas, pelo mar Negro. Teriam fundado várias cidades, entre as quais Éfeso, na Anatólia. Conta a lenda que lutaram contra os gregos em Tróia, mas Aquiles matou uma de suas rainhas, Pentesiléia. Quando Héracles (Hércules), em um de seus trabalhos, arrebatou o cinturão da rainha Hipólita, e sua irmã Antíope foi raptada por Teseu, as amazonas, em represália, invadiram Atenas, onde foram aniquiladas.
Essa lenda clássica foi revivida no século XVI, quando o explorador espanhol Francisco de Orellana, ao descer pela primeira vez o rio que em território brasileiro se chamaria depois rio "das amazonas", afirmou que combatera uma tribo de mulheres guerreiras. Uma das versões da lenda revivida relata que as amazonas iam apanhar no fundo do rio, para dar a seus noivos, como fetiche, os muiraquitãs ou pedras verdes, como penhor de felicidade eterna.
Em arte, as amazonas são em geral representadas a cavalo, armadas de arco e lança ou com machadinha de dois gumes e escudo.
E a criação da Mulher Maravilha, uma amazona que derrotaria os nazistas da 2ª guerra!?!

sábado, junho 14, 2003

Coisas de Matemática e Estatística:

chefe inteligente + empregado inteligente = lucro
chefe inteligente + empregado burro = produção
chefe burro + empregado inteligente = promoção
chefe burro + empregado burro = hora-extra

Caso Sério ----- Golpe de Estado

Meu caso de amor
Virou um caso sério
Cobrindo minha vida de mistério
E sol nasce em seu sorriso
Abandonaram o posto
Trouxeram desgosto
Puseram uma lágrima no olhar
Explodiram um paraíso
Pedem uma chance de aceitar
O resgate de uma guerra nuclear
Ditadores em nome da paz
Jogam meu planeta num precipício
Nosso amor está na ogiva de um míssil
Boa morte até nunca mais
Parem de destruir
O que não dá pra salvar
Parem de decidir
O fim da terra, da água e o ar

terça-feira, junho 10, 2003

Dia dos Namorados

A provável origem está na Roma antiga, no século III. O imperador Claudius II havia proibido o casamento durante os tempos de guerra, porque achava que os soldados solteiros eram mais eficientes. Mas o padre Valentim desobedeceu a ordem e celebrou vários casamentos. Pela desobediência, ele foi condenado à morte e tornou-se santo. A data em que ele morreu, 14 de fevereiro, passou então a ser celebrada por ingleses e franceses no século XVII, ao mesmo tempo como Dia de São Valentim e Dia dos Namorados.

Um século depois ela foi adotada nos Estados Unidos como o “Valentine’s Day”. No Brasil, o fato de a data ser comemorada em 12 de junho tem um significado muito menos heróico ou romântico. O costume surgiu em 1949, quando o publicitário João Dória trouxe a idéia do exterior e a apresentou aos comerciantes. Como junho é um mês de vendas baixas, eles decidiram comemorar a data nesse mês e ainda escolheram a véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro como o Dia dos Namorados.

Guia dos Curiosos

sexta-feira, junho 06, 2003

Loin des yeux, loin du coeur.

Qui vivra, verra.

Au revoir

quinta-feira, junho 05, 2003

I can see angel eyes
And I feel myself arise
Well I know, you're so wonderful
And I know, you're not from this world
You were sent by angels
From the sky above
Sent by angels
I can feel you when I fantasize
I could show you when I'm inside
Then I'll know you're so wonderful
And I know you're not from this world
You were sent by angels
From the sky above
Sent by angels
I can see the other side
I can hear the distant cry
And I know you're so wonderful
And I know you're not from this world
You were sent by angels
From the sky above
Sent by angels

/////SENT BY ANGELS\\\\\

Arc Angels

quarta-feira, junho 04, 2003

Ontem tava ouvindo o velho e bom "Dick Dale" com a versão que ele fez para "Hava Nagila", a tradicional música da comunidade judia.
Não sei, se ainda tem a exposição sobre Anne Frank, vi uma reportagem na TV, parece completa e interessante para todos, não só para a comunidade.

terça-feira, junho 03, 2003

Herr Bdwg:




Can you remember remember my name
As I flow through your life
A thousand oceans I have flown
And cold spirits of ice
All my life
I am the echo of your past

I am returning the echo of a point in time

Distant faces shine
A thousand warriors I have known
And laughing as the spirits appear
All your life
Shadows of another day

And if you hear me talking on the wind
You've got to understand
We must remain
Perfect Strangers

I know I must remain inside this silent well of sorrow

A strand of silver hanging through the sky
Touching more than you see
The voice of ages in your mind
Is aching with the dead of the night
Precious life (your tears are lost in
falling rain)

And if you hear me talking on the wind
You've got to understand
We must remain
Perfect Strangers

{Perfect Strangers} Blackmore/Glover/Gillan dEEp pURplE








segunda-feira, junho 02, 2003

Pôxa, às vezes é difícil ter o que escrever. Por isso, temos que aplaudir o Macaco Simão por tanta criatividade em doses diárias.
Hoje, tive aula de GAP e STEP, aquela suadeira.
Ontem, não consegui postar no blogger(.br.), toda hora tava em manutenção, o que me causou irritação.
Sábado, desbravei a Z.L (Zona Leste). Quando vi "Estrada do Lageado Velho", pensei :estou longe, bem longe de casa.
Deu pra perceber como a população de lá, precisa de infra-estrutura. Vai ter USP.Já tem FATEC, o SESC Itaquera e precisa de muito mais...
Vou virar política desse jeito.
Não é nada disso, só gosto de justiça.

domingo, junho 01, 2003

Sem você a vida pode parecer
Um porto além de mim
Coração sangrando
Caminhos de sol no fim
Nada resta mas o fruto que se tem
É o bastante pra querer
Um minuto além
Do que eu possa andar com você
Te amo e o tempo não varreu isso de mim
Por isso estou partindo e tão forte assim
O amor fez parte de tudo que nos guiou
na inocência cega, no risco das palavras
E até no risco da palavra amor

CAMINHOS DE SOL