quinta-feira, março 30, 2006

Julgamento
(adaptação de Venice Sant´Anna)

Conta uma antiga lenda que, na Idade Média, um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor do crime era pessoa influente do reino e por isso, desde o primeiro momento, procurou-se um bode expiatório para acobertar o verdadeiro assassino.
O homem foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.
O juiz, que também estava combinado para levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado para que provasse sua inocência.
Disse-lhe o juiz:
- Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor. Vou escrever em um pedaço de papel a palavra INOCENTE e noutro pedaço a palavra CULPADO. Você sorteará um dos papéis e aquele que sair será o veredicto. O Senhor decidirá o seu destino.
Sem que o acusado visse, o juiz preparou dois papéis, mas em ambos escreveu "CULPADO", de maneira que não existiria nenhuma chance do acusado se livrar da forca. Não haveria saída! Não haveria alternativas para o pobre homem!
O juiz colocou os dois papéis sobre uma mesa e mandou o acusado escolher um deles.
O homem pensou alguns segundos e, pressentindo a armação do juiz, aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou-o na boca, engolindo-o.
Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.
- Mas o que você fez? E agora?
- É muito simples! - respondeu o homem. Basta olhar o pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o seu contrário. Imediatamente o homem foi libertado.

MORAL DA HISTÓRIA : por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar numa solução positiva e favorável, até o último momento. Saiba que para qualquer problema há sempre uma saída. Não desista, não entregue os pontos, não se deixe derrotar! Persista, vá em frente! Apesar de tudo e de todos, creia que você pode conseguir.

quarta-feira, março 29, 2006

"Nós não temos um corpo, nós habitamos um".

quarta-feira, março 22, 2006

sábado, março 18, 2006


((( Tão ABSTRATA é a idéia do teu ser
Que me vem de te olhar, que, ao entreter
Os meus olhos nos teus, perco-os de vista )))


sexta-feira, março 17, 2006


(((Todavia apenas verdadeiros Deuses reconhecem as luzes dos bastidores humanos enquanto o homem, por incompletude tem o olhar da Medusa, petrificando tudo o que não pode ver, muito menos o que não pode compreender sem vivenciar)))

segunda-feira, março 13, 2006

Ouvindo a vinheta da melhor rádio rock que já existiu.

97 FM

  

sexta-feira, março 10, 2006

...Na cena de amor de A Floresta, de Ostrovski, Arkachka e Ulita se balançam nas extremidades de uma prancha colocada sobre uma tora...
Meyerhold (Construtivismo-década de 20-Rússia)

segunda-feira, março 06, 2006

Lembrando:

...Quem me dera, ao menos uma vez,
Que o mais simples fosse visto como o mais importante...



Legião Urbana

sábado, março 04, 2006

Ladies and Gentlemen:
The Rutles


It's Looking Good
(Nasty/McQuickly)

There was no one in my life till I met you
You brought me love and taught me how to smile
You picked me up when I was feeling blue
From now on my future is worthwhile

It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good

Now that you have given me reason to live
I will stay forever by your side
And give you all the loving I can give
Just say the word and be my bride

It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good

I'm not throwing caution to the winds, oh, no
Love is not an easy game to play
Though I may not be a man of words, yeah, yeah
There is one thing I feel obliged to say

It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good

It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good

It's looking good
It's looking good
It's looking good
It's looking good

quinta-feira, março 02, 2006

Eu quero um vidro (cheio) de perfume de Lavanda.
Eu quero.