quarta-feira, dezembro 31, 2008


O tempo tudo tira e tudo dá; tudo se transforma, nada se destrói
Giordano Bruno

quarta-feira, dezembro 24, 2008

John Pierpont começou bem. Formou-se na universidade e por idealismo optou pela carreira de professor.
Foi um fracasso como professor porque ele era muito mole com os alunos…
Mudou de ramo e tentou ser advogado.
Novo fracasso. Era generoso demais com os clientes e defendia causas de quem não podia pagar.
Como terceira opção, Pierpont tentou um armazém de secos e molhados. Novo fracasso como comerciante, ele não resistia aos pedidos de fiado e praticava preços muito generosos.
Entre uma profissão e outra, Pierpont escrevia poesias que não rendiam direitos autorias suficientes para poder viver.
Pierpont acabou se transformando em pastor protestante, foi ordenado após concluir Teologia em Harvard. Ele era a favor da “lei seca” e contra a escravidão. Essas posicões o colocaram em confronto com membros influentes da congregação e foi obrigado a renunciar. Novo fracasso.
Tentou a política. Foi indicado como candidato a governador de Massachusets, pelo Partido Abolicionista e perdeu a eleição.Candidatou-se ao senado pelo partido “Terra Livre”…
e perdeu mais uma vez
Agora Pierpont era um fracasso indiscutível.
Com a guerra civil em andamento, Pierpont apresentou-se como capelão ao 22º Regimento de Voluntários do estado.
Quinze dias depois pediu baixa, ao descobrir que não tinha estomago para a guerra. Aos 76 anos era um fracasso também como capelão.
Alguém lhe conseguiu um emprego humilde num departamento do Ministério da Fazenda em Washington, e o nosso herói passou os últimos dias de sua vida abrindo e fechando gavetas de arquivos.
Morreu como um perfeito fracassado.
Sobre seu túmulo em Massachusetts há uma pequena lápide.
John Pierpont.Poeta, pregador, filósofo,filantropo.
Com a perpectiva do tempo, pode-se ver, hoje, que afinal de contas, Pierpont não foi um fracasso assim tão absoluto.
- O homem empenhou-se por justiça social;- Lutou, o mais que pode, para transformar-se num homem digno ;- Engajou-se nas maiores questões do seu tempo e jamais perdeu a fé no poder da vontade; nisso sim teve sucesso.
E na verdade muitas de suas tentativas que ao calor da hora pareciam fracasos retumbantes , acabaram tendo melhor sorte:- A educação foi reformada- Os procedimentos legais modificaram-se- Criaram-se leis de proteção ao consumidor- E , claro, a escravidão foi abolida e feita a reforma agrária.
A história de Pierpont nada tem de excepcional. Há inúmeros reformadores em todos os tempos que não tem busto praça pública e nem estão nos livros de história.
Cada um tem suas histórias de sucesso, e também de fracassos.
O importante para cada um é estar em paz com sua consciência, estar envolvido e atuando nas questões do seu tempo.
Nosso herói tem um grande sucesso que pelo menos, milhões de pessoas, ou melhor bilhões de pessoas conhecem…
Numa certa tarde de inverno Pierpont rabiscou numa partitura as notas de uma canção, pensando em oferecer um presente original a sua familia.
E assim fazendo ele nos deixou um presente eterno, um presente fantástico e invisível de natal que simboliza a alegria;
John Pierpont compôs “Jingle Bells”.

(autor desconhecido)

quinta-feira, dezembro 18, 2008

Soja
No final dos anos de 1970 a soja para mim era um alimento exótico.
Quando vi na prateleira do supermercado "Sojinha" farinha de soja quis logo experimentar.
Nos anos 1980 eu adorava a paçoca de soja distribuída na escola.
Houve um hiato.
E Desde 2005 voltei a consumir soja especificamente proteína.
A soja é rica em cálcio, ferro, fósforo, sais minerais e lecitina.Tem vitaminas A, B,C, D e E.
Reduz o colesterol LDL, ajuda na prevenção do câncer, retarda osteoporose e auxilia no controle de diabetes.
Apesar de adorar o aroma de um bife na frigideira,eu optei pela proteína de soja porque tenho consciência que a carne bovina tem três vezes menos proteínas , contém colesterol, promove ácido úrico e acumula resíduos tóxicos no organismo.E além disso a criação de gado agrava o aquecimento global .





.

terça-feira, dezembro 09, 2008

El Dorado

Mapas Antigos, Histórias Curiosas
por Celso M. Serqueira

segunda-feira, dezembro 08, 2008

Eu disse:
- Vamos conhecer a nova Praça?
Meus Pais disseram:
- Praça?
*
*
*
*
*
Não é qualquer Praça.
É a Victor Civita que nós adoramos.

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Adorei este recado da Beth:

Sabedoria Indígena
"Diz a sabedoria indígena que quando não cumprimos o que prometemos, o fio de nossa ação que deveria estar concluído e amarrado em algum lugar fica solto ao nosso lado. Com o passar do tempo, os fios soltos enrolam-se em nossos pés e impedem que caminhemos livremente...ficamos amarrados às nossas próprias palavras. Por isso os nativos tem o costume de "por-as-palavras-a-andar" que significa agir de acordo com o que se fala; isso conduz à integridade entre o pensar, o sentir e o agir no mundo e nos conduz ao Caminho da Beleza onde há harmonia e prosperidade naturais."