segunda-feira, março 30, 2009

Hoje zapeando pela TV parei no Sem Censura com a apresentação da Leda Nagle.

Papo descontraído :) com o convidado Alberto Villas sobre o seu novo livro
Admirável Mundo Velho! sobre expressões e gírias que caíram em desuso.

“Hoje você está com a macaca”
“Ficou a ver navios”
“Tirar nota vermelha no boletim”
“Tô frito”
“Ele tem um parafuso a menos”
"Ela tomou um chá de cadeira”
"Ele trabalha com cérebro eletrônico”
"Pode passar o açúcar?"
"Ele foi ao banco receber o ordenado"
"Ele chamou a rádio-patrulha"
"Achei o filme um abacaxi"
"Ela ficou pra titia"

quarta-feira, março 25, 2009

"Cada dia chega trazendo seus próprios presentes. Desamarre as fitas."
Ruth Ann Schabaker

terça-feira, março 24, 2009

Domingo passado foi o dia de ver:
Yanni Live at the Acropolis

Visitei o site e descobri que o Yanni está com rosto de bebê.

Voices The 2009 Tour
"The human voice is the most expressive instrument known to man...it can evoke an enormous amount of emotion"

terça-feira, março 17, 2009


O misterioso número de ouro

Do número nasce a proporção
Da proporção se segue à consonância
A consonância causa deleitação
A nenhum sentido apraz a dissonância
Unidade, igualdade e semelhança
São princípios do contentamento
Em todos os sentidos o experimento
A alma na unidade glória alcança
Em todas as quantidades a igualdade
E a perfeição remota ou a mais chegada
Segundo a natural autoridade
E assim esta nas qualidades assentada
Da mesma maneira a semelhança
Diva de ser sentida e contemplada

Vasco Graça Moura,
Camões e a Divina Proporção

terça-feira, março 10, 2009

Lições de vida

Tese de um pensador russo chamado Guerdjef, que no início do século passado já falava em autoconhecimento e na importância de se saber viver.Dizia ele: "Uma boa vida tem como base o sentido do que queremos para nós em cada momento e daquilo que, realmente, vale como principal". Assim sendo,ele traçou 20 regras de vida que foram colocadas em destaque no Instituto Francês de Ansiedade e Stress, em Paris.
Dizem, os experts em comportamento, que quem já consegue assimilar10 delas,com certeza, aprendeu a viver com qualidade interna.
Ei-las:
1 - Faça pausas de dez minutos a cada duas horas de trabalho, no máximo. Repita essas pausas na vida diária e pense em você, analisando suas atitudes.
2 - Aprenda a dizer não sem se sentir culpado ou achar que magoou.Querer agradar a todos é um desgaste enorme.
3 - Planeje seu dia, sim, mas deixe sempre um bom espaço para o improviso, consciente de que nem tudo depende de você.
4 - Concentre-se em apenas uma tarefa de cada vez.Por mais ágeis que sejam os seus quadros mentais, você se exaure.
5 - Esqueça, de uma vez por todas, que você é imprescindível. No trabalho, em casa, no grupo habitual. Por mais que isso lhe desagrade, tudo anda sem a sua atuação, a não ser, você mesmo.
6 - Abra mão de ser o responsável pelo prazer de todos.Não é você a fonte dos desejos, o eterno mestre de cerimônias.
7 - Peça ajuda sempre que necessário, tendo o bom senso de pedir às pessoas certas.
8 - Diferencie problemas reais de problemas imaginários e elimine-os porque são pura perda de tempo e ocupam um espaço mental precioso para coisas mais importantes.
9 - Tente descobrir o prazer de fatos cotidianos como dormir, comer e tomar banho, sem também achar que é o máximo a se conseguir na vida.
10 - Evite se envolver na ansiedade e tensão alheias enquanto ansiedade e tensão.Espere um pouco e depois retome o diálogo, a ação.
11 - Família não é você, está junto de você, compõe o seu mundo, mas não é a sua própria identidade.
12 - Entenda que princípios e convicções fechadas podem ser um grande peso,a trave do movimento e da busca.
13 - É preciso ter sempre alguém em que se possa confiar e falar abertamente ao menos num raio de cem quilômetros.Não adianta estar mais longe.
14 - Saiba a hora certa de sair de cena, de retirar-se do palco, de deixar a roda.Nunca perca o sentido da importância sutil de uma saída discreta.
15 - Não queira saber se falaram mal de você e nem se atormente com esse lixo mental; escute o que falaram bem, com reserva analítica, sem qualquer convencimento.
16 - Competir no lazer, no trabalho, na vida a dois, é ótimo... para quem quer ficar esgotado e perder o melhor.
17 - A rigidez é boa na pedra não no homem.A ele cabe firmeza, o que é muito diferente.
18 - Uma hora de intenso prazer substitui com folga 3 horas de sono perdido.O prazer recompõe mais que o sono. Logo, não perca uma oportunidade de divertir-se.
19 - Não abandone suas três grandes e inabaláveis amigas: a intuição, a inocência e a fé.
20 - Entenda de uma vez por todas, definitiva e conclusivamente:Você é o que se fizer!

segunda-feira, março 09, 2009

Conjunção Oportuna:

Estou lendo "O Corpo Fala" de Pierre Wel e Roland Tompakow
"Podemos comparar o corpo humano a uma esfinge que era composta por quatro partes (corpo de boi, tórax de leão,asas de águia e cabeça de homem)"

Boi - Abdômen - Vida Instintiva e Vegetativa
Leão - Tórax - Vida Emocional
Águia - Cabeça - Vida Mental (intelectual e espiritual)
--------------------------------------------------------
Homem - Conjunto - Consciência e Domínio dos três inconscientes anteriores

E estou vendo os primeiros episódios de Lie to me
*The truth is written all over our faces

quinta-feira, março 05, 2009

A mulher sofrida

Olho para ela e leio, em seu rosto triste, as marcas da vida e da mão que prostra. Sei o que sofreu, um sofrimento entretanto ambíguo que, ao mesmo tempo, lacera a carne, decepa alegrias, mas estrutura resistências e sabedorias. Tento entendê-la, esta mulher sofrida. Quem é. Como é.
Sofrida é a mulher por quem a vida passou, machucando uma sensibilidade menina, feita de dádiva, confiança no próximo, esperança de melhorar o mundo.
Sofrida é a mulher que não viveu em vão, na delícia burguesa de ser objeto de sexo, admiração fácil ou mimo, preferindo o caminho penoso da independência, a procura honrada da própria dimensão pessoal, existencial, política.
Sofrida é a mulher que tem energia e nervos para enfrentar na carne todas as disposições e contradições necessárias a viver e a conquistar o direito à vida, à liberdade, à solidão, ao afeto dos seus.
Sofrida é a mulher de uma geração que assistiu à castração de seu sonho político, embora o veja crescendo, melhorando e se transformando pelo mundo afora.
Sofrida é a mulher que viveu várias décadas em cada uma das três últimas. É a pessoa que soube incorporar ao seu viver as dores necessárias à libertação dos preconceitos próprios e alheios; dos atrasos ancestrais; da dor de viver adiante no tempo; das agressões retrógradas; das maldades profissionais; do medo da sua mensagem renovadora.
Sofrida é a mulher que assistiu à queda de muitos, ao cansaço de outros, à morte de terceiros, à dor, à tortura, ao vício, à desistência, à loucura, à resistência, à tenacidade, ou à convicção de todos os que se insurgiram contra qualquer forma de agressão humana, de opressão ou de injustiça.
Sofrida é a mulher que aí está, cada vez melhor, porque de costas eretas a despeito de tudo o que viu, sofreu e passou. E passa.
Sofrida é a mulher que não desistiu de ser; não se alienou; não fugiu da dor; e até se embelezou com as rugas conseguidas; é a que se purificou com as impurezas que em si descobriu e mergulhou com igual coragem na miséria e grandeza, saindo melhor de ambas.

Artur da Távola

quarta-feira, março 04, 2009

9h00 da Manhã e um dos termômetros da Marginal Pinheiros marca 30ºC.
Há duas semanas isto é uma rotina em SP.

Ah!
Se houvesse a brisa do mar e
a sombra dos coqueiros.

Ah!
Se houvesse a desobrigação de cumprir horários e
a espontaneidade de um sorriso sem compromisso.