sábado, dezembro 31, 2011

Fernando Pessoa

"O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto."

Millôr Fernandes

Poeminha sobre o TempoO despertador desperta, 
acorda com sono e medo; 
por que a noite é tão curta 
e fica tarde tão cedo? 

quinta-feira, dezembro 29, 2011

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Sem título #129


Joyeux Noël,Merry Christmas,Frohe Weihnachten,Feliz Navidad,Buon Natale,Feliz Natal...

quinta-feira, dezembro 22, 2011

Paulistana

Tenho guardado com carinho o meu cartão de recém-nascida da Associação Maternidade de São Paulo localizada na Rua Frei Caneca, 1245 - Fone 37-7101.
Após mais de um século de atendimentos, a Maternidade teve que encerrar suas atividades em 2003 por dívidas.Um fato lamentável tanto para os funcionários como para pacientes.

Pelo meu  conhecimento pessoal sei que  alguns  hospitais aqui em São Paulo (capital) também fecharam, um foi demolido  e outro  nem chegou a ser construído. Talvez existiram mais casos que eu não tive acesso.

Como pode um serviço prioritário nessa má condição numa das maiores cidades do mundo?

E  o atendimento demoraaaaaaaaaaaaado dos que estão em funcionamento?

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Hong Kong

Azevinho


Tradicionalmente são utilizados ramos de Azevinho no Natal porque
esta árvore simboliza a festa do amor e da esperança ,
representou Firmeza para os druídas,
e afugentou maus espíritos para monges medievais.

quarta-feira, dezembro 14, 2011

Dio Santo!

Hoje estava um tempo abafado em São Paulo (nem vi quantos graus) no congestionamento na Chácara Flora.
Já começou a minha maratona:

Correios(ainda mando alguns cartões)
Shoppings
Supermercados
Lojas de rua

Será que "tou" esquecendo de alguma coisa...? Incrível como essa frase passa várias vezes pela cabeça nesta época.

E ainda tenho  a Arrumação da casa.

Ainda bem que não adotei a Brenda (linda SRD) porque tenho certeza que ela ia ficar tristinha por não ter tempo pra ficar com ela.





segunda-feira, dezembro 12, 2011

O que seria o multivíduo?


...



O conceito de indivíduo, é uma palavra de origem latina, que traduz uma palavra grega, isto é, atomon. Atomon é igual a indivíduo, isto é, indivisível. A-tomon, não divisível. Por que na cultura ocidental, o indivíduo é a última parcela social que não é mais possível dividir. Por que isso seria loucura, esquizofrenia ou morte. Então, esse tipo de concepção do indivíduo indivisível, como é atomon, é uma concepção que pertence à história da cultura ocidental, desde a Grécia, a Roma Antiga, até a modernidade. Eu acho que esse tipo de relação, o indivíduo tem uma identidade, isto é, ser igual num contexto diferente, esse é o grande desafio da cultura ocidental. A identidade ocidental é esse paradigma. Ser igual num contexto diferente. Só que, todo mundo sabe que não funciona. Nunca funcionou. Ou se funciona é num domínio auto-repressivo.

O conceito de multivíduo, para mim, é um conceito mais flexível, mais adequado à contemporaneidade. Por que significa que multivíduo é uma pessoa, um sujeito, que tem uma multidão de eus na própria subjetividade. Isto é, o plural de eu, não é mais nós, como no passado. O plural de eu, como eus. Isso pode desenvolver uma multiplicidade de identidades, de eus, que é o multivíduo, isto é, em parte, fazer uma co-habitação flutuante, múltipla, de diferentes selves, se poderia dizer por exemplo, a palavra em inglês, plural de self, que co-habitam, às vezes conflictuam, às vezes constroem, uma nova identidade, flexível e pluralizada. Acho que o multivíduo é esse tipo de possibilidade, de potencialidade. Eu espero que o multivíduo seja a potencialidade conceitual adequada à metrópole comunicacional. Em uma simetria, uma dialógica, uma interatividade entre metrópole comunicacional e subjetividade multividual.
O senhor não acha que isso pode gerar um conflito na pessoa, por que de certa forma a gente continua tendo uma vida. Como lidar com isso?

É claro. No passado essa dimensão era mais interpretada num sentido de uma esquizofrenia, esquizo significa dividir. Então esse tipo de multiplicidade era scizóide, era considerado uma loucura, uma estravagância ou era um artista, um pintor, um poeta. Agora, é claro que poderia haver sempre uma dimensão de frustração, mas experimentos de multiplicidades conflictual que co-habitam o mesmo eus, eu gosto de utilizar o artigo no singular, e o pronome no plural, isto é, o eus. O eus significa que ele tem esse tipo de potencialidade de desenvolver esse tipo de pluralidade co-habitativa, conflitual, mas potencialmente não-patológica. Também a distinção entre norma e desviança, o que é normal e o que é anormal, pertence a um tipo de história da psicopatologia. E muito freqüentemente a psicopatologia do passado definia a pessoa como louca por que era muito poética, muito estranha, não dava para aceitar esse tipo de multiplicidade. Agora eu acho que esse mundo da tecnologia digital favorece esse tipo de comportamento, e eu espero sempre que seja mais assim.
...
Trecho de Entrevista com Massimo Canevacci em Agosto de 2007 para Sextante




domingo, dezembro 11, 2011

Lupe Cotrim


"Paisagem de uma aula de Filosofia"

Porque a pedra
está fora do tempo
e eu por dentro;
porque a terra se desata,
vegetal,
e a mim falta
esse fôlego verde,
em tênue movimento;
porque entre raiz e folha
o animal salta,
elástico, e desconheço
liberdade tão alta;
porque mineral e vegetal
uma floresta é segredo
aberto ao animal
e em mim se enlaça
pelos cipós do medo
-sei-me de outra espécie.
Em que sou fraco. E antes
de tudo - breve.
Mas nesta extensão tão plena
é que mais compreendo.
[...]
E são rochas de leões
marés de outono
folhas alçando-se no arrojo
dos pássaros, répteis
em curvas de diamante,
montanhas côncavas, murmurando,
florestas em ondas, sobre as águas
as distâncias são formas
-corpo de estrela, impulso de planície,
a morte é apenas uma flor
vermelha, que passa no vento
[...]
e em tudo estou presente, simultâneo,
o horizonte a meus pés,
como um riacho doce.
Olhando dentro de mim,
de dentro da natureza,
eu a refaço - e invento a beleza.



sábado, dezembro 10, 2011

Palavr@o

Minha Língua

Tem certas situações que se passa pela vida que só um bom palavrão alivia ou excita.
A polidez não adianta absolutamente nada.


domingo, dezembro 04, 2011

sexta-feira, dezembro 02, 2011

As Minhas 10 vanhalenianas:

X -     Fire in the hole     - X
IX-     Humans being   - IX
VIII-  When it's love   -VIII
VII -   The dream is over   -VII
VI -     Jump   -VI 
V-       Panama   -V
IV-     Unchained    -IV
III-     Intruder    -III 
II-      Dance the night away      -II 
I -       Hear about it later         - I 

10 Canções Favoritas do van Halen

Segundo Pesquisa feita pela Rolling Stone:

10. "Dreams" (1986)
09. "Right Now" (1991)
08. "Eruption" (1978)
07. "Mean Street" (1981)
06. "Runnin' With the Devil" (1978)
05. "Jump" (1984)
04. "Ain't Talkin' 'bout Love" (1978)
03. "Hot for Teacher" (1984)
02. "Panama" (1984)
01. "Unchained" (1981)1)

quinta-feira, dezembro 01, 2011

Castanha-do-Brasil

Gosto bastante da Castanha-do-Pará que também é conhecida por Castanha-do-Brasil.
Compro mais na Época de Natal.
A nutricionista Camila sugeriu a ingestão de duas castanhas por dia por ser rica em gordura boa.
Eu adoro o chocolate Talento(fico me contendo) e hoje comprei a versão do Sorvete com Castanha-do-Pará.
Não foi o que eu esperava.Eu queria  muito mais crocância.