quinta-feira, maio 29, 2014

Érico Veríssimo

"A vida é uma cartola de mágico. Com um pouco de imagina­ção e muita habilidade a gente tira dela tudo. "

segunda-feira, maio 26, 2014

Paulo Eiró

Beijo de Mãe
Quando meu peito continha
Um coração inocente,
No regaço providente
De minha mãe repousei:
Ela, então, mal respirando,
Beijou-me, e eu acordei...

Depois, no peito bateu-me
O coração, violento:
Comovida, sem alento,
Outra mulher me beijou:
Esse férvido contato
Que eternidade selou!

Agora, tenho saudades
De meu berço, entre mil ais;
Lembro os risos maternais
E aquele afago inocente,
Porque, em lábios de mulher,
Só beijo de mãe não mente.

quinta-feira, maio 22, 2014

Lietuva

Leituva

 by noeli-da-fonseka 

Cabe acrescentar lituanos que vieram para o Brasil como a família Klabin e Lasar Segall.

quarta-feira, maio 14, 2014

Madre Teresa de Calcutá

As palavras de amizade e conforto podem ser curtas e sucintas, mas o eco é infindável.

segunda-feira, maio 05, 2014

Ponto Final

Eu sempre admirei reticências,mas existem estórias na vida que precisam de ponto final.

É preciso se despedir de velhos sonhos não com tristeza, mas com o coração limpo e pronto para ser fértil ao novo que vai chegar.

Tive uma dúvida  por algum tempo e só agora posso dizer que consegui esclarecer finalmente o desfecho  de uma estória que não me pertence mais.Não sou Protagonista e nem Antagonista e sim Observadora.
Isso me traz uma Alívio   que limpa minha  Aura.

domingo, maio 04, 2014

Amo-te Por Todas as Razões e Mais Uma


Por todas as razões e mais uma. Esta é a resposta que costumo dar-te quando me perguntas por que razão te amo. Porque nunca existe apenas uma razão para amar alguém. Porque não pode haver nem há só uma razão para te amar. 
Amo-te porque me fascinas e porque me libertas e porque fazes sentir-me bem. E porque me surpreendes e porque me sufocas e porque enches a minha alma de mar e o meu espírito de sol e o meu corpo de fadiga. E porque me confundes e porque me enfureces e porque me iluminas e porque me deslumbras. 
Amo-te porque quero amar-te e porque tenho necessidade de te amar e porque amar-te é uma aventura. Amo-te porque sim mas também porque não e, quem sabe, porque talvez. E por todas as razões que sei e pelas que não sei e por aquelas que nunca virei a conhecer. E porque te conheço e porque me conheço. E porque te adivinho. Estas são todas as razões. 
Mas há mais uma: porque não pode existir outra como tu. 
Joaquim Pessoa

quinta-feira, maio 01, 2014

Maio-Moço

 era um rapaz que vestia-se de maio. Ele andava com a roupa enfeitada de giestas, e na cabeça elas  formavam uma PIRÂMIDE. O maio-moço saía pelas ruas com crianças a cantarem e a dançarem à volta dele. Andava também pelos campos a esconjurar os maus espíritos para proteger as famílias e as colheitas.